Em conjunto com os ministérios da Defesa e da Saúde, a Anvisa definiu os procedimentos para todos os tipos de interação com os repatriados provenientes da China, que ficarão em quarentena na Base Aérea de Anápolis.

Nesta quinta-feira (6/2), técnicos da Anvisa visitaram a Base Aérea de Anápolis, onde as pessoas repatriadas vindas da China ficarão em quarentena. O objetivo da visita foi acompanhar o trabalho de montagem das instalações que servirão de acomodação para essas pessoas.

Durante conversa com a imprensa na Base Aérea, o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra, tranquilizou a população de Anápolis em relação à presença das pessoas vindas da China. Segundo Barra, todas as orientações da Agência para a realização da quarentena são para garantir a segurança de todos que atuam dentro da base aérea e no entorno das instalações.

Para a realização da quarentena, a Anvisa definiu, em conjunto com os ministérios da Defesa e da Saúde, procedimentos para todos os tipos de interação com os viajantes procedentes da China. A ação faz parte das medidas de enfrentamento ao novo coronavírus (nCoV) adotadas pelo governo brasileiro.

O diretor-presidente ressaltou, ainda, que a preocupação central de todo o trabalho é acolher os repatriados e acomodá-los da melhor forma possível durante os 18 dias previstos de quarentena.

As equipes da Anvisa, do Ministério da Saúde e da Força Aérea tiveram ainda uma reunião na Base Aérea para alinhar os procedimentos que serão adotados durante a permanência das pessoas no local, que conta com área de hospedagem para o período de quarentena e serviço médico para eventuais atendimentos.